20/05/2024 +55 (24) 992552748

Toque de bola - Augusto Carpazano

orthopride

Flamengo vence no Maracanã e depende só de si para avançar na Libertadores

Por Augusto Carpazano 16/05/2024 às 12:11:23

Após uma boa partida contra o Corinthians, pelo Brasileirão, o Flamengo voltou a campo, pela Libertadores, para enfrentar o líder de seu grupo o Bolívar. Com Gérson jogando como um meia/ponta, o time abriu o placar com menos de dois minutos de jogo: num contrataque puxando por Cebolinha, o time do boliviano se posicionou muito mal puxando toda sua linha defensiva para direita e deixando Gérson sozinho do outro lado e de pé esquerdo o capitão do time abriu o placar. 1 x 0

O time visitante é o líder da chave porém deu muitas alternativas ao ataque rubro-negro. Uma defesa totalmente quebrada, com espaços entre os laterais, Savedra e Sagredo, e os zagueiros, Orihuela e Ordoñez, além de não conseguir conter o jogo do meio-campo dos donos da casa.

Aliás, a receita para perder para qualquer time treinado por Tite é você não conseguir conter as ações dos três jogadores de meio dos times montados por ele; e é assim desde os tempos de Caxias (campeão gaúcho 2000), passando pelo Grêmio (campeão da Copa do Brasil 2001) pelo Corinthians (campeão da Libertadores e mundial 2012) e pela seleção brasileira (campeã da Copa América 2019). Rigorosamente todos esses times eram baseados na força de seus meios-campos.

O Bolívar levou a sério o manual de perder uma partida, não somente nos fatos citados anteriormente, como também tendo muitos erros individuais.

O time, quando chegou ao ataque até teve boas chances, principalmente com seus três jogadores mais próximos do gol, Bruno Sávio, Chico da Costa e Pato Rodriguez. Esse último, inclusive, mandou uma bola na trave e foi o inciador das principais jogadas do time azul.

O Flamengo chegava até com facilidade, porém Gérson não conseguia acompanhar o ritmo de Arrascaeta, De La Cruz, Cebolinha e Ayrton Lucas. Geralmente, quando o time chegava numa transição ofensiva, o capitão do time ficava para trás, o que prejudicou a intensidade do time.

No entanto, quando as jogadas eram trabalhadas no toque de bola, o "coringa" aparecia mais e melhor no jogo. E num passe dele, o zagueiro Orihuella cortou mal e a bola sobrou para Ayrton Lucas aumentar o placar. 2 x 0.

Não demorou muito e numa saída errada, De La Cruz tomou a bola de Ordoñez e deu passe para Pedro que serviu à Cebolinha para fazer o 3 x 0.

Se não fosse a boa partida do goleiro Carlos Lampe, e a falta de velocidade de Gérson o placar poderia ter sido maior.

No segundo tempo, apesar dos esforços do técnico do Bolívar em tornar seu time mais ofensivo, e criar mais problemas para o sistema defensivo dos donos da casa, ainda seguiram com muitos erros técnicos e táticos. Os espaços entre os laterais e zagueiros continuavam, mesmo o técnico boliviano trazendo Bruno Sávio mais para o meio, tentando ter superioridade numérica no setor e confundir Ayrton Lucas na marcação. Os ainda líderes da chave continuavam a errar e com um 3 x 0 contra o desânimo parecia tomar conta do time celeste.

Do outro lado, o Flamengo jogava em seu ritmo atual, pressionando o adversário a errar e aproveitando desses erros para seu jogo de transição ofensiva. Seu meio-campo continuava a funcionar perfeitamente, com Allan, De La Cruz e Arrascaeta com papéis importantíssimos no jogo.

E ainda bem no início do segundo tempo, De La Cruz deu passe sensacional para Pedro que ajeitou o corpo, deu o passe para Gérson que devolveu para o camisa 9 fechar o placar; 4 x 0.

Tite ainda descansou seus principais jogadores, tirando os dois uruguaios do meio campo para entradas de Igor Jesus e Lorran, e Cebolinha e Pedro, para o ingresso de Luiz Araújo e Gabriel Barbosa.

Lorran deu ao time ainda mais uma característica: a arrancada pelo meio. O time do Flamengo transiciona bem o jogo pelo meio. Quando precisa toca bem a bola tem jogo, mas sempre teve o jogo de velocidade pelos lados. Geralmente seu meio é mais passador, contudo, com a entrada do jogador de 17 anos, essa característica é acrescida à equipe. Em várias jogadas o camisa 19 conseguiu quebrar as linhas de meio-campo do Bolívar arrancando com a bola dominada.

E digo: pelas chances criadas no primeiro e segundo tempos, 4 x 0 ficou barato? chances pelos méritos do Flamengo, onde seus jogadores conseguiram transformar em gols, mas também pela péssima partida do time boliviano que deu espaços e ainda cometeu diversos erros técnicos que lhe custaram o resultado.

O Flamengo volta a campo contra o Millonários, no Maracanã, dependendo só de si para se classificar. O Bolívar volta para La Paz onde enfrentará o Palestino, visando garantir o primeiro lugar no grupo e assim ter alguma vantagem nas próximas fases.

Comunicar erro
Comentários