18/07/2024 +5524992552748

Toque de bola - Augusto Carpazano

Livro Marketing

No jogo da "transpiração" Vasco é melhor, vence o Corinthians e deixa o adversário na zona do rebaixamento

Gigante da Colina quebrou tabu de 14 anos

Por Augusto Carpazano 11/07/2024 às 10:22:03

Vasco se recuperou no campeonato

Apesar do time do Vasco ter tido uma considerável melhora da tabela, o jogo contra o Corinthians, em São Januário, marcou o encontro de dois times que ainda não dignificaram suas tradições no futebol nacional nesse ano de 2024. E o mal futebol do time paulista, que o custa um campeonato de briga contra o rebaixamento, e do time carioca e seus três volantes, haja vista as faltas de Estrella, Payet e o recém-chegado Phelippe Coutinho, o time da Colina dependeu de Praxedes para ser seu armador.

Rafael Paiva, sem muito o que fazer, armou um 4-1-4-1 onde a transpiração valia mais que a inspiração. Os donos da casa ainda tiveram o contratempo de ter seus dois laterais, Paulo Henrique e Pitón, bloqueados por Wesley e Romero que fizeram perseguições quase sempre individuais.


O Corinthians, que teve a confirmação da chegada de Ramón Diaz ex-técnico vascaíno, ainda teve o interino Rafael Laruccia no banco. Além da perseguição individual nos laterais vascaínos, o treinador do time paulista tinha a função de, como tem um time tecnicamente fraco, tentar acomodar da melhor forma seu principal jogador, o argentino Mateo Coronado.


Mesmo assim o camisa 77 teve seu momento de glória apenas numa falta batida que Léo Jardim fez grande defesa.Com o passar do tempo, Pitón começou a levar vantagem para cima do paraguaio, Romero, no entanto a má apresentação de Deivid não deu ao lateral uma boa companhia pela canhota.


Adson, foi um jogador bem dinâmico causando ao lateral adversário, Matheus Bidu, muito desconforto durante toda a partida. O 0 x 0 pode servir como nota para o primeiro tempo, pois não foi, nem de longe, a melhor apresentação das equipes. Sem substituições ambos os times voltaram para o segundo tempo.


O Vasco parecia bem mais ligado no jogo e tentando girar a jogada mais a frente da área corinthiana, para abrir espaços entrelinhas do rival. Para um time que não contava com jogadores de um nível técnico maior, Rafael Paiva adotou a melhor estratégia para o jogo.

Ele também dobrou a marcação sobre Wesley que, marcava o lateral no mano a mano, mas sempre tinha uma sobra de um dos volantes em suas investidas no ataque.

E nessas de girar a bola, de um lado para outro, o time da Colina encontrou o espaço, quando Hugo Moura lançou Pitón que venceu Romero, na velocidade e bateu cruzado, sem chances para Mateus Donelli. 1 x 0.


O Corinthians, que já está com seu elenco emocionalmente abalado, por estar na zona do rebaixamento e não parecer reagir, precisava de uma injeção de ânimo e o técnico Laruccia viu isso em Pedro Henrique e posteriormente em Pedro Raul. O primeiro a entrar em campo ainda causou incômodo, pois Romero já não conseguia acompanhar Pitón e nem atacar os espaços. Já o segundo, não funcionou como "lei do ex".


O Vasco de Rafael Paiva é o time do esforço ao máximo. Notavelmente a equipe, e principalmente seus volantes, se desgastam muito; e para melhorar o desempenho ele trocou os três jogadores do tripé central. Praxedes, Hugo Moura e Matheus Carvalho saíram para as entradas de JP, Zé Gabriel e Sforza.


A intensidade dos donos da casa se manteve e a morosidade dos adversários também.

O volante argentino, inclusive, fez o gol mais bonito do jogo, pois de falta ele deu números finais ao jogo, com um golaço no ângulo de Donelli. 2 x 0 Na próxima quarta-feira, o Vasco vai a Goiânia enfrentar o Atlético(GO), já o Corinthians terá mais um jogo difícil contra o bom time do Criciúma, na Arena de Itaquera.


Comunicar erro
Comentários